segunda-feira, junho 29, 2009

Próximos Concertos

video

Programa de Concerto




Auto-Glosa (2009) *
João Manuel de Barros (n.1981)

Branco em branco (2009) *
Sofia Sousa Rocha

Credos (2008) *
Ana Seara

Ciclo para coro (2009) *
Miguel Teixeira
1. Tristis est anima mea
2. Stabat mater
3. Gloria

Dorme, que a vida é nada! (2009) *
Tiago Derriça (n. 1986)

Salmo 150 (2000)
Eurico Carrapatoso (n. 1962)
1. Alleluia!
2. Saltério
3. Alleluia ii

Requiem por mim (2009) *
João Nascimento (n. 1957)


6 de Julho, Igreja do Loreto, Lisboa (chiado)
7 de Julho, Igreja dos Pastorinhos, Alverca
8 de Julho, Igreja de Sªº Jorge dos Ingleses, Lisboa (estrela)
21:30
entrada livre

Coro Ricercare
Direcção: Pedro Teixeira
Sinfonietta de Lisboa
Direcção: Vasco Pearce de Azevedo



* Estreia absoluta

Compositores Portugueses


Mais uma vez, a Associação Ricercare apresenta Eurico Carrapatoso, desta feita o Salmo 150 escrito em 2000. Concertos já nos próximos dias 6, 7 e 8 de Julho.



palavras do caríssimo Compositor:

Salmo CL

“... Louvai o Senhor no Seu majestoso firmamento ... louvai-O com a harpa, louvai-O com a flauta, louvai-O com a cítara, louvai-O com címbalos retumbantes ... tudo o que respire louve o Senhor: Alleluia!”
Que palavras tão sonoras, estas!
Sonoras como sinos!
E que estímulo para a composição!
A música já está contida no texto. Basta abrir-lhe o nosso coração e deixarmo-nos vibrar na sua própria ressonância. Ao tratar o “Salmo CL”, de tamanha exaltação do espírito, eu próprio me senti transformado num tímpano gigante.
Que alegria, que exaltação!
E que redescoberta da Luz!

Eurico Carrapatoso, Lx. 3.IV.01

Novos Compositores Portugueses


João Manuel de Barros, jovem compositor apresenta-nos Auto-Glosa, uma peça em estreia absoluta já nas próximas datas de 6, 7 e 8 de Julho.

Na senda da descoberta do desconhecido, aqui trazemos palavras suas, que para além de um promissor compositor é um acarinhado tenor na formação do Coro Ricercare.


Em jeito de reflexão, surgiu o poema Auto-glosa, em 2006, na inquietude da constante descoberta da ilusão do desconhecido.

Esta peça surge na perspectiva de dar corpo e substância à forma etérea construída pelo poema, de maneira a preencher os contornos desenhados pelo texto.

A obra é fundamentalmente baseada em cores hamónicas, por vezes iludidas por pequenas linhas melódicas que insinuam veementemente o significado das palavras.


“Em luz de nocturno me devaneio
Percorro, em gnose, a altura dos ventos...
Traçando guardas de resoluta inquietação,
Espremendo a brisa que de mim se oculta
E, gota a gota, o suor da ilusão... “

João De - Outubro de 2006

Novos Compositores Portugueses



Porque a música contemporânea igualmente se escreve no feminino, aqui vos deixamos Ana Seara, cuja peça Credos, será estreia nos dias 6, 7 e 8 de Julho.


Nas palavras da jovem Compositora:


CREDOS


Uma peça de fé para quem a vive e entende como tal e para quem pensa e diz não a ter.

Os Credos de cada um e de cada povo.

Crenças e esperanças.

A oração em latim confronta Alberto Caeiro, ou será Caeiro que confronta a oração?

Credo in unum Deum. Patrem omnipoténtem, factórem caeli et terrae, visibilium dominum et invisibilium. Deum de Deo, Lumen de Lumine, Deum verum de Deo vero. Jesum Christum Filium Dei. Qui propter nos hómines et propter nostram salútem descédndit de caelis.


Pensar em Deus é desobedecer a Deus,Porque Deus quis que o não conhecêssemosPor isso se nos não mostrou


Crucifixus, passus et sepúltus est


Sejamos simples e calmos Como os regatos e as árvores, E Deus amar-nos-á fazendo de nós Belos como os regatos e as árvores


Et ressuréxit tértia die, Et ascéndit in caelum


E dar-nos-á verdor na sua primavera, E um rio aonde ir ter quando acabemos!

Novos Compositores Portugueses

Aqui vos apresentamos Miguel Teixeira, um jovem compositor que nos presenteia com um Ciclo de três peças para coro, e que para além deste seu peculiar talento enquanto compositor de música erudita, igualmente integra a formação do Coro Ricercare.

O Miguel Teixeira, Lisboeta nascido em 1987, é estudante do Curso de Composição na Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), encontrando-se actualmente a finalizar o 2º ano.
Começou os seus estudos musicais académicos na Academia dos Amadores de Música onde frequentou as cadeiras de ATC com Pedro Rocha e Eurico Carrapatoso. mais um estudante de Direito que opta pela Música, foi aluno de composição de Carlos Marecos e hoje de Sérgio Azevedo.
Em 2008 e 2009 participa no projecto Peças Frescas, tendo estreado, até o momento, uma peça para instrumento solo, e uma peça de música de câmara (“Mar Sonoro”, para flauta solo, e “Vox Clamens”, para violino e piano) e, noutro evento, uma peça para a orquestra de sopros da ESML (“Messier 80”).
Frequentou seminários de António Pinho Vargas, Carlos Guedes, Emmanuel Nunes, Eurico Carrapatoso, Fernando Lapa, João Pedro Oliveira, Marc-André Dalbavie, Peter Hamel e Sérgio Azevedo, e participou no “Workshop de Direcção Coral” de 2009 em Évora com o professor e maestro Paulo Lourenço.


A não perder nos dias 6, 7 e 8, prometo-vos uma nova forma de encarar a musica contemporânea, espantem-se!


Ciclo para coro nas palavras do Compositor:

dedicado à minha mãe

“Sobre o golpe sem fundo do meu lado


Ia caindo o rio do teu pranto;


E o meu corpo pasmava, amortalhado,


De um rio amargo que adoçava tanto.”


excerto do poema "Pietà" de Miguel Torga,
in Diário I

Novos Compositores Portugueses



Aqui vos deixamos Tiago Derriça, compositor que o Coro Ricercare já cantou. Eis a sua nova peça, Dorme, que a vida é nada!, nas palavras do próprio compositor:

Esta peça, que tem por base o poema homónimo de Fernando Pessoa, foi escrita para a Orquestra Sinfonietta de Lisboa e para o Coro Ricercare, e é dedicada à minha namorada, Joana Marques.


Dorme é a palavra que marca o poema e é também a palavra que direcciona a música para um canção de embalar.


Dorme, que a vida é nada!
Dorme, que a vida é nada!

Dorme, que tudo é vão!

Se alguém achou a estrada,

Achou-a em confusão,

Com a alma enganada.

Não há lugar nem dia

Para quem quer achar,

Nem paz nem alegria

Para quem, por amar,

Em quem ama confia.

Melhor entre onde os ramos

Tecem dóceis sem ser

Ficar como ficamos,

Sem pensar nem querer,

Dando o que nunca damos.

Novos Compositores Portugueses




A Associação Ricercare apresenta-vos: João Francisco Nascimento cuja peça Requiem por mim (2009) será alvo de estreia pelo Coro Ricercare e pela Sinfonietta de Lisboa já nos próximos dias 6, 7 e 8 de Julho.


Requiem por mim, nas palavras do compositor:

“Requiem por mim” é uma pequena peça escrita para coro e orquestra de cordas baseada num poema de Miguel Torga.

O texto refere duas substâncias de clara elevação. Uma, dramática, quando o sujeito, perante a iminência da sua morte, se confronta com a inevitabilidade do fim. Outra, redentora, pela sublime aspiração da total dissolução. Foram estas duas “naturezas” que guiaram o discurso musical.

Esta peça é dedicada a Rita Martins que, precocemente se “eternizou no seu esplendor torrencial de rio”.

Ilhas, 14 de Junho de 2009.

João Francisco Nascimento.






Sofia Rocha uma compositora que nos deixa a pensar O'Neill sob outro olhar. Nas palavras da jovem:



Nunca é fácil começar.
Branco em branco para Coro e Orquestra de Cordas foi escrita a partir de dois poemas de Alexandre O'Neill.
Como o poeta, também o compositor tem diante de si uma página em branco.
E é a partir dela que tudo começa...